terça-feira, 5 de março de 2013

Aditivos alimentares


Conforme prometido, voltei com o post sobre os aditivos alimentares
E o assunto é loooongo.


Mas, afinal, o que são os aditivos alimentares?
Segundo a ANVISA, “é todo e qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos alimentos sem propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais, durante a fabricação, processamento, preparação, tratamento, embalagem, acondicionamento, armazenagem, transporte ou manipulação de um alimento.“ 
Mas atenção: esta definição não inclui os contaminantes ou substâncias nutritivas que sejam incorporadas ao alimento para manter ou melhorar suas propriedades nutricionais.

Também de acordo com a legislação, “a necessidade do uso de um aditivo deve ser justificada sempre que proporcionar vantagens de ordem tecnológica e não quando estas puderem ser alcançadas por operações de fabricação mais adequadas ou por maiores precauções de ordem higiênica ou operacional.”


É proibido o uso de aditivos em alimentos quando:
- houver evidências ou suspeita de que o mesmo não é seguro para o consumo pelo homem;

- servir para encobrir falhas no processamento e/ou nas técnicas de manipulação;

- encobrir alterações ou adulterações da matéria-prima ou do
produto já elaborado.


Não dá para negar, do ponto de vista tecnológico, que eles são fundamentais na produção de alimentos em larga escala. Porém, deve haver maior preocupação quanto aos riscos toxicológicos provocados pela ingestão diária dessas substâncias.
No Brasil, as empresas são obrigadas a citar os aditivos na lista de ingredientes, sempre constando a função principal do aditivo no alimento e seu nome completo ou seu número INS (Sistema Internacional de Numeração, Codex Alimentarius FAO/OMS), ou ambos. 
Para saber mais você pode acessar a RDC nº 259, de 20 de setembro de 2002, clicando aqui.



Apresento, agora, os principais aditivos, suas funções, 
onde são encontrados e exemplos.

Acidulante
Aumenta a acidez ou confere sabor ácido aos alimentos. 
Onde são encontrados: refrescos, néctares, refrigerantes, produtos de padaria, frutas em conserva, alimentos refrigerados e congelados, alimentos para bebês, óleos e gorduras e produtos cárneos.
Exemplos: ácido cítrico, ácido fumárico, ácido lático, ácido málico.


Antioxidante
Retarda o aparecimento de alterações oxidativas, tais como rancificação das gorduras (óleos vegetais, gorduras animais e carnes animais que contenham gordura), escurecimento das frutas, descoloração das carnes, deterioração por oxidação dos sucos de frutas cítricas e modificação da cor de frituras em saquinhos plásticos. 
Onde são encontrados: molhos emulsionados (tipo maionese), vegetais em conservas, refrescos e refrigerantes, sorvetes, mistura para sobremesas, produtos de padaria, sopas, caldos, chá e infusões, bebidas lácteas, cereais matinais, leite, leite em pó, queijos e alimentos para bebês.
Exemplos: ácido ascórbico, ácido cítrico, ácido fosfórico, EDTA (etilenodiaminatetracetato de cálcio dissódico), lecitinas, palmitato e estearato de ascorbila, tocoferóis.

Antiumectante
Reduz a umidade dos alimentos.
Onde são encontrados: produtos de cacau e chocolate, preparados sólidos para refrescos e refrigerantes, produtos de batata, preparados desidratados e concentrados para sopas e caldo.
Exemplos: alumíniocarbonato de cálcio e de magnésio, fosfato tricálcico, hidróxido de magnésio, sais de sódio, potássio e cálcio.

Aromatizante/ flavorizante
Confere ou reforça o sabor e/ou aroma (ou seja, responsável pelo sabor e aroma artificial dos alimentos). 
Onde são encontrados: balas, gomas de mascar, sorvetes, bombons, preparados para refrescos, gelatinas, iogurtes, manteigas e bolos.
Exemplos: butanoato de etila; etanoato de butila, benzoato de metila, 
ácido butírico.


Conservante
Impede ou retarda alterações e/ou deteriorações nos alimentos provocados por microrganismos. 
Onde são encontrados: picles, compotas e geleias com baixo teor de açúcar, fruta cristalizada, peixes semi-preparados, molhos, queijos, salsichas e bacon.
Exemplos: ácido benzóico, benzoato de cálcio, bissulfito de potássio, bissulfito de sódio, dióxido de enxofre, natamicina, nitrato de potássio, nitritos e nitratos, propionato de cálcio e propionato de sódio.
Corante
Confere, intensifica ou restaura a cor dos alimentos, criando-se uma cor imitação ou realçando uma cor natural, sem que possuam 
qualquer princípio nutritivo. 
Onde são encontrados: refrescos, gelatina, massas, bebidas lácteas e iogurtes, refrigerantes, salgadinhos e sorvetes.
Exemplos: prata, alumínio, amarelo crepúsculo FCF, antocianinas, betacaroteno, caramelo, carbonato de cálcio, carmim, cúrcuma, dióxido de titânio, eritrosina, licopeno, ouro, óxidos e hidróxidos de ferro, tartrazina, vermelho 40, vermelho bordeaux s, vermelho ponceau 4r.


Edulcorante
Confere sabor doce aos alimentos sem a utilização de açúcares. 
Onde são encontrados: adoçantes de mesa, produtos para fins dietéticos (em substituição aos açúcares), cereais de café da manhã ricos em fibra, cerveja e gomas de mascar.
Exemplos:  aspartame, ciclamatos, manitol e sacarina. A relação com todos os edulcorantes você ver aqui

Emulsificante
Permite a mistura de duas ou mais substâncias imiscíveis, 
como água e gordura. 
Onde são encontrados: margarina, maionese, sorvete, salsicha, 
pães, chocolate.
Exemplos: monoestearato de sorbitano, monolaurato de sorbitano, monooleato de polioxietileno, lactopalmitato de glicerila.


Espessante
Aumenta a viscosidade do alimento. 
Onde são encontrados: adoçantes de mesa, doce de leite, creme de leite, queijos, sorvete, petit suisse, néctares de frutas, requeijão.
Exemplos: ácido algínico, ágar-ágar, alginato de potássio, alginato de sódio, carboximetilcelulose, celulose microcristalina, goma arábica, goma guar, goma xantana, musgo irlandês, carragenana.

Estabilizante
Mantém a estabilidade/ uniformidade da mistura de duas ou mais 
substâncias imiscíveis. 
Onde são encontrados: preparados sólidos e líquidos para refrescos, refrigerantes, alimentos para bebês e crianças, molhos emulsionados.
Exemplo: lecitinas, fosfato monossódico, carboximetilcelulose sódica.

Estabilizante de cor
Estabiliza, mantém ou intensifica a cor dos alimentos.
 Onde são encontrados: embutidos cárneos (salames, presunto). 
Exemplos: cloreto de magnésio, nitrato de sódio, nitrito de sódio.


Geleificante
Confere textura, através da formação de um gel. 
Onde são encontrados: sorvete, leite com chocolate, molhos de salada, glacês, confeitaria, carne enlatada, gelatinas, geleias.
Exemplos: gelatinas, alginato, goma carragena, pectina.

Regulador de acidez
Altera ou controla a acidez ou alcalinidade dos alimentos. 
Onde são encontrados: peixes, manteiga e margarina, pó para preparar sobremesa, recheios para torta, molhos e bebidas, refrigerantes, geleias, conservas de vegetais, frutas e legumes.
Exemplos: ácido acético, acetato de cálcio, ácido lático, ácido fumárico, ácido málico, ácido cítrico.


Realçador de sabor
Realça o sabor ou aroma dos alimentos. 
Onde são encontrados: embutidos, aperitivos, sopas instantâneas, molhos e pratos prontos, snacks e salgadinhos.
Exemplos: ácido guanílico, glutamato monossódico, guanilato de potássio, inosinato dissódico.

Umectante
Mantém a maciez e umidade dos alimentos. 
Onde são encontrados: coco ralado, marshmallow.
Exemplos: glicerol, lactato de sódio, sorbitol.


A legislação determina a quantidade segura de aditivos para cada alimento, em regulamentos específicos.
Só que esta quantidade é determinada para cada alimento, individualmente. Mas... 
E quando você consome vários produtos que contém o mesmo aditivo
Ou, quando você consome excessivamente produtos industrializados e vai acumulando diversos aditivos em seu organismo? 
Ou, ainda, que você consome o produto diferentemente do recomendado (por exemplo, um produto que deveria ser diluído, mas você usa na forma concentrada)? 
Você continua seguro???
É isso que gostaria que você pensasse.

Entre os males relacionados ao excesso do consumo destes compostos estão alergias, hiperatividade e câncer.

Sugiro que você crie o hábito de ler o rótulo dos produtos antes de comprar e fique atento a qualquer reação, seja gastrointestinal (náusea, vômito, diarréia) ou cutânea (coceira, vermelhidão, urticária) que possa surgir após a ingestão de algum alimento que contenha aditivo. 
Neste caso, procure o auxílio de um médico, para avaliar se o problema foi ou não desencadeado pelo consumo do produto.
E cuidado, principalmente, com a exposição das crianças
à estas substâncias!


Eu sei que, como sempre, já falei demais.
Então eu volto num outro momento para discutir com mais detalhes alguns aditivos considerados mais críticos, entre eles o amarelo crepúsculo, a tartrazina, e o benzoato de sódio.
A PROTESTE –Associação Brasileira de Defesa do Consumidor reivindica que seja incluída a mensagem “o consumo pode acarretar efeitos adversos na atenção e concentração da criança” no rótulo dos alimentos que contiverem estas substâncias.

Pra finalizar, deixo aqui um link muito legal, da PROTESTE, no qual você pode imprimir um guia de bolso com uma lista dos aditivos mais comuns. E o melhor é que também estão sinalizados os que têm potencial alergênico (marcados com *) e os que você deve evitar (os que estão em vermelho).
Imprima já o seu e não se esqueça de levar para a próxima compra!

De olho no rótulo sempre! ;)



2 comentários:

  1. Angélica ferreira6 de março de 2013 15:30

    Muito legal esse post!

    E quando esses aditivos são naturais, como corantes naturais, antioxidantes naturais e etc? Podem causar os mesmos danos e na mesma gravidade?

    obs.: Vou imprimir o guia de bolso!!

    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Oi Angélica!
    Obrigada pelo elogio! :)
    E imprime sim seu guia de bolso. Eu achei super útil e já estou carregando o meu.
    Com relação aos aditivos naturais, não encontrei nenhuma informação negativa sobre eles, inclusive, vários estudos estão sendo feito para que eles possam substituir os aditivos químicos, que muitas vezes causam mais mal ao organismo do que, por exemplo, o próprio microrganismo que estavam tentando evitar.
    Mas não se pode garantir que não fará mal a ninguém, que existem casos individuais de alergia..
    Vou fazer mais posts sobre o assunto, para esclarecer melhor cada caso.
    Um beijo!

    ResponderExcluir