segunda-feira, 1 de abril de 2013

Beterraba


É uma raiz tuberosa de cor vermelho-arroxeada devido à presença de betalaínas, que são pigmentos hidrossolúveis divididos em duas classes: as betacianinas (cor avermelhada) e as betaxantinas (cor amarelada), importantes antioxidantes naturais.

Fonte: Cozinha Vapza

Estas substâncias são perdidas gradativamente após o corte e, por isso, 
deve-se consumir rapidamente depois de processadas. Ou, em casos que necessitam de armazenamento, algumas gotinhas de ácido cítrico (presente na laranja e limão, por exemplo) ajudam na manutenção das betalaínas.
Além disso, considerando que são pigmentos solúveis em água, 
grande parte é perdida durante a cocção.

A beterraba também é rica em açúcares e contém quantidades significativas de vitamina A e vitaminas do complexo B, manganês e potássio, essencial para controle da pressão arterial e contração muscular.

Fonte: Dicas sobre Saúde
E ao contrário do que dizem por aí, ela não é rica em ferro e, portanto,
 não é eficaz no combate a anemia! Para se ter uma ideia, 100g de beterraba (aproximadamente uma unidade média) contém 
apenas 0,2mg de ferro, na forma não heme.
É que o ferro proveniente da dieta pode ser de duas formas: heme e não heme, o que determina a facilidade de sua absorção.
O ferro heme está presente apenas em alimentos de origem animal, como carne bovina, suína, de frango e peixe. Como esta forma é solúvel nas condições do intestino delgado, ele é facilmente absorvido (entre 15 e 35%).
Já o ferro não heme, presente principalmente em alimentos de origem vegetal, como é o caso da beterraba, além de ser menos absorvido (entre 1 e 5%), ainda depende de outros fatores, como presença de um ácido. Por isso é recomendado a ingestão de um suco natural de frutas cítricas (laranja, limão, abacaxi), junto com alimentos de origem vegetal, pois aumenta a biodisponibilidade deste mineral.

Fonte: Volta ao Mundo Restaurante
Outro mito que deve ser abolido é que diabéticos não podem comer beterraba. Já atendi pacientes desiludidos porque médicos, vizinhos, parentes, qualquer pessoa não apta para tal recomendação disse que não podiam mais comer nada que “cresce embaixo da terra”.
Por favor, parem com isso!
Como eu sempre defendo, o equilíbrio é o ponto. Procure um NUTRICIONISTA e ele irá balancear sua alimentação, para que você possa continuar comendo beterraba e várias outras coisas ditas como “proibidas”.

Voltando ao assunto do post, descobri um achado da ciência muito interessante enquanto fazia esta pesquisa.
Um estudo mostrou que o suco de beterraba pode ser muito eficiente na redução da pressão arterial e também no risco de AVC (Acidente Vascular Cerebral), graças às altas concentrações de nitrato. Este sal é convertido em óxido nítrico, que relaxa e dilata os vasos sanguíneos, melhorando o fluxo de sangue e oxigênio. Além de reduzir a pressão e, consequentemente, as chances de ocorrer um AVC, também combate a demência.

Fonte: Jornal Corrida
Aproveite que está na época da beterraba e coloque já em seu prato. Além de dar um colorido todo especial na forma de salada, seja crua ou cozida, pode também ser consumida em sucos, bolos, purês e muito mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário